domingo, 11 de novembro de 2012

Spectreman


"Planeta: a Terra. Cidade: Tóquio. Como todas as metrópoles deste planeta, Tóquio se acha hoje em desvantagem na sua luta contra o maior dos inimigos do homem: a poluição. E apesar dos esforços de todo o mundo, pode acontecer um dia que a terra, o ar e as águas tornem-se letais para toda e qualquer forma de vida. Quem poderá intervir? SPECTREMAN!!!" (abertura brasileira)



Esta maravilhosa série foi criada em 1971 e iniciaria o que os especialistas chamam de segundo "kaiju boom" (explosão de monstros). O criador da série foi Souji Ushio, diretor da P-Productions (Pioneer Productions) que já havia nos presenteado com o magnífico "Goldar & Os Vingadores do Espaço" (Magma Taishi, no original), uma série que estreou semanas antes do Ultraman original. Não obtendo sucesso com as séries Jaguar Man (1968) e Hyoh Man (1969) - clique aqui para ver fotos - que não passaram do piloto (mas que indubitavelmente teriam sido um sucesso!), a P-Productions tinha que encontrar um novo herói. Desta vez, a idéia surgiu na forma de um herói nos moldes de Ultraman, que combateria monstros criados por um diabólico e vingativo homem-macaco, o Dr. Gori.

Na verdade, o personagem de Gori foi idealizado e criado antes mesmo do herói, já que o simióide aparece no piloto intitulado Chojin Elementman (Super-Homem Elementman), ao passo que Spectreman se quer tinha recebido seu nome definitivo. Nosso herói estava muito diferente do que o conhecemos e fica difícil imaginar que Spectreman poderia usar um uniforme com detalhes em vermelho.



Felizmente, esse piloto foi considerado "interessante" o suficiente para criar uma série inteira de TV que foi chamada Uchyu Enjin Gori (Homem-Macaco Espacial, Gori) e a série estreou em 3 de janeiro de 1971, na TV Fuji. A série era exibida no mesmo horário de um anime de baseball, muito popular na época, chamado Kyoojin no Hoshi, e após três meses de exibição a audiência de Uchyu Enjin Gori já era superior a de Kyoojin no Hoshi. Daí por diante, a série se tornou popular, apesar de seus rivais ameaçadores que eram o Kamen Rider (Toei) e Mirrorman (Tsuburaya).



Após 20 episódios, o enorme volume de cartas recebidas dos espectadores pressionou a P-Productions a mudar o título para Uchyu Enjin Gori Tai Spectreman (Homem-Macaco Espacial Gori vs. Spectreman). E depois de 39 episódios a série finalmente receberia o título Spectreman, pois, os espectadores desejavam que o título da série fosse o nome do herói.



Tarde demais para mim, não se ensinam coisas novas a um macaco velho... O mal é sempre lembrado, o bem é tão difícil de ser reconhecido. Para trás ou morre comigo! A morte é a solução!!!

A série alcançou seu final após 63 episódios, em 25 de março de 1972, sendo substituída pela não menos interessante Lionman Branco (Kaiketsu Lion Maru), que teve seus 10 primeiros episódios exibidos, no Brasil, pela extinta Rede Manchete.



Spectreman foi um enorme sucesso devido a vários fatores. Primeiro: tinha um super-herói gigante combatendo monstros e esse tipo de programa era muito popular naquela época, o sucesso de Ultraman é uma prova disso. Tudo bem, a P-Productions é famosa por seus efeitos especiais considerados dos mais capengas, mas isso não atrapalhava em nada nosso herói. Um detalhe interessante desta série era que ela refletia o trauma de uma nação inteira. Nesse período da Era Showa (vide curiosidades), o Japão estava atravessando um período econômico próspero, com bons índices de produção, mas essa produção tinha uma falha, exatamente como na série, ou seja: a poluição!



De fato, nós vemos monstros que nascem de todo tipo de poluição. Hedron (provavelmente um primo do monstro Hedoron do clássico da Toho Godzilla vs. The Smog Monster, produzido no mesmo ano), a erva daninha marinha juntamente com a baleia voadora são os melhores exemplos de poluição marinha, ao passo que os episódios 5 a 8 lidam com nevoeiro e poluição aérea. A série também refletia o medo que os japoneses tinham de terremotos e tsunamis (ondas gigantes) como mostrado no belo episódio "O dia em que a Terra Estremeceu".



Após o episódio 35, a série abandonava gradativamente o espírito de poluição tornando-se uma pura aventura de Ficção Científica. Deste ponto em diante, vemos alienígenas de Kilaar, Satan, Genos (Operação Genocídeo), com suas estranhas feras, que servem de pretexto para que Spectreman pudesse combater um monstro diferente a cada semana. Não podemos deixar de citar, também, Vordalak, O Vampiro do Espaço, um episódio inesquecível. E, afinal de contas, o que aconteceu com a secretária do grupo que o maldito vampiro não devolveu? Alguém sabe?

Koji Uenishi



As estórias continuavam divertidas, embora menos do que na primeira fase. Outro ponto que ajudava a conquistar a audiência era o constante humor desproposital. O personagem Karas (Rah, no original) é provavelmente o melhor exemplo (sua descoberta da Terra no episódio 4 é lendária) junto com alguns monstros realmente curiosos, sem mencionar alguns efeitos especiais verdadeiramente arcaicos. Mas tudo isso só servia para aumentar ainda mais o nosso carisma pela série. Quem nunca se divertiu ao assistir o simiano Karas imitando os gestos do seu mestre!?

O monstro Zeron (Ep. 04) foi reaproveitado do episódio piloto de Jaguarman (1967)

Por último, é desnecessário dizer que a série foi muito bem elaborada e nunca abandonou sua atmosfera anos 1970. Spectreman é definitivamente uma série atraente que encantou não apenas crianças, com o conceito de super-herói-versus-monstro, mas também adultos, graças a seu forte plano de fundo (a poluição).

Tetsuo Narikawa no episódio 36 de Ultraman Léo.

As Máscaras



Assim como Ultraman, a série teve mais de uma máscara. No episódio 01, temos a Type A, que cobria quase todo o rosto. Já no episódio dois ela aparece muito pouco e nas cenas de vôo com close no rosto, já se nota a Type B.

Máscara Type A - Primeiro Episódio

O episódio 08 - Mandíbulas da Morte (estrelando Megaortóperos, a Barata Gigante) marca a despedida da máscara Type B. No episódio seguinte, O Monstro Bicéfalo (Rato de Duas Cabeças) já se nota a nuance sobre os lábios da máscara, já com o uso da Type C.

Type B


Curiosidades:
  1. Koji Uenishi, que vestia as fantasias de Karas e Spectreman, é o mesmo dublê que vestia o traje do Ultra Seven.
  2. Tetsuo Narikawa participou de um episódio da série Ultraman Leo (1974), interpretando o vilão alien Atlanta, além de dois episódios do Lionman Branco.
  3. A fantasia do Dr. Gori do episódio piloto viria a ser reaproveitada no papel do atrapalhado e carismático Karas. 
  4. O Monstro Zeron, do episódio 4, foi reaproveitado do piloto de Jaguarman (1967).
  5. Spectreman ganhou sua própria revista no Brasil, com título homônimo. Nos quadrinhos, sua forma humana chamava-se Kenzo e as cores do traje eram azuis e cinza. Santa Picaretagem! 
  6. Há uma lenda de que Jiro Dan (Go, O Regresso de Ultraman) teria interpretado Kenji (Gamou, no original), mas o próprio Jiro Dan negou a informação. Tanto ele como Narikawa não participaram do episódio piloto.
  7. A Era ou Período Showa (1926-1989) iniciou-se com o Imperador Hiroito. Nessa era ocorreu o ataque japonês a Pearl Harbour, na Guerra do Pacífico, e o lançamento das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki (1945). Na década de 1960 houve um grande desenvolvimento econômico japonês. Com a morte do Imperador Hiroito, em 1990, o Imperador Akihito assumiu o poder, iniciando o Período Heisei.


Não devemos nos esquecer de sua amizade, seu sacrifício e da lição que nos deu. A luta contra a poluição e as forças do mal pode ser ganha, mas apenas com muita dedicação chegaremos à vitória final. Não importa quão árdua seja a nossa tarefa... Adeus, e boa sorte, Spectreman!



Fontes:
Asahi-Net
Desa - Cultura Japonesa. Período Showa.
MARTINET, Damien. Spectreman: The Story
NETO, Daniel. EmbromAction: Spectreman no Brasil.
Spectreman

Ficha

Título Original: スペクトルマン, Supekutoruman
Produção: 02/01/1971~25/03/1972
Criação: Souji Ushio (pseudônimo para Tomio Sagisu)
Episódios: 63
Produtora: P-Productions
Trilha Sonora: Kunio Miyauchi e Naohiko Terashima
Emissoras:

Japão - TV Fuji (sábados, de 19:00 às 19:30)
Brasil - Rede Record e TVS / SBT


Episódios

2 comentários:

Jair G Schroeder disse...

Eu gostava muito da versão que passava no SBT e noto que nos episódios que tem hoje mesmo com a abertura original ainda tem pequenas partes do final de cada ep que passava no SBT com cortes bruscos. Gostaria muito de saber o que aconteceu com os episódios que tinham aquela abertura. Alguém sabe?

Javaman disse...

mandou bem, eu não perdia 1 episódio sequer!

Postar um comentário

 
Copyright 2011 @ Blog do Ranger Sombra!
Design by Wordpress Manual | Bloggerized by Free Blogger Template and Blog Teacher | Powered by Blogger