domingo, 22 de fevereiro de 2015

Speed Racer X



Finalmente, em 1996, após o fracasso de The New Adventures of Speed Racer (1993) animado por Fred Wolf - produtora de James Bond Jr. e As Tartarugas Ninja -, a Tatsunoko recebeu o sinal verde para produzir sozinha seu próprio remake de Mach GOGOGO (マッハGoGoGo). Grande parte da equipe que trabalhou na série era iniciante no universo de Speed Racer, embora certamente não fossem novatos na indústria da animação. Incluíam os Planejadores da Série Koko Narushima e Mitsutoshi Tokuyama, os Designers Mecânicos Satoshi Horii e Hiroshi Ogawa, e o Compositor Michiru Oshima. Para certificar que eles lidariam apropriadamente com os aspectos que envolviam as corridas, a Tatsunoko chegou a contratar um piloto profissional – Masahiro Hasemi – como Conselheiro Técnico. Masahiro foi campeão da Fórmula 2 Japonesa em 1980, participou uma única vez da F-1 no Grande Prêmio de Kojima/1976 e venceu as “24 Horas de Daytona” (atual Rolex 24 at Daytona) em 1992 – os brasileiros Raul Boesel e Christian Fittipaldi, venceram a mesma prova, respectivamente em 1988 e 2004.


Hasemi se aposentou em 2001 e hoje administra a Hasemi Sports - equipe de corrida Super GT.

Havia até alguns membros da equipe que trabalhou na série original à disposição para emprestarem seus talentos na elaboração da nova série. Entre eles estavam Hiroshi Sasagawa, retornando ao papel de Diretor Chefe que ele habilmente conduziu anteriormente. Unindo-se a ele estava Masami Suda que foi o Diretor de Animação da versão de 1967, mas na nova série ficou encarregado dos Character Designers, baseados nos personagens criados por Ippei Kuri. Suda chegou até mesmo a participar como Diretor de Animação convidado em alguns episódios da série.

Estreando na TV Tokyo em 9 de Janeiro de 1997, o novo Speed Racer focava nas aventuras do jovem Go Hibiki. Apesar de ter um nome ligeiramente diferente do original Go Mifune, os dois personagens eram muito parecidos; pilotos jovens e ousados que esperavam se tornar os melhores do mundo. A família de Go Hibiki era formada por sua mãe, Misuzu Hibiki, e seu pai, Daisuke Hibiki. Daisuke era o chefe da Hibiki Motors e o criador do fantástico carro de corrida: o Mach.


Uma vez que o irmão mais velho de Go, Kenichi, aparentemente morreu durante os testes do Mach muitos anos atrás, Daisuke aperfeiçoou o carro adicionando equipamentos especiais que ele batizou de “Safety Seven”, cada um deles pode ser ativado ao pressionar um botão no volante do carro. A maioria dos equipamentos consistia de versões atualizadas das engenhocas encontradas no Mach original de 1967 e incluíam:

Botão A – Aero Jacks

Substituindo os macacos hidráulicos do original estava um conjunto de motores a jato que podiam ejetar o carro. Com a ajuda de pequenas asas que apareciam do corpo do carro, os Aero Jacks permitiam que o Mach voasse pequenas distâncias.


Botão B – Balloon Tires

Para uso em terrenos acidentados, os pneus do Mach expandiam a um tamanho gigantesco permitindo que o carro viajasse off-road (deserto) de forma segura, da mesma forma que um SUV: Veículo utilitário esportivo (conhecido como SUV, do inglês: "Sport Utility Vehicle") é um veículo semelhante a uma camioneta, normalmente equipado com tração nas quatro rodas para andar sobre todos os tipos de terreno (on- e off-road).

Botão C – Cutter Blade

Substituindo as serras elétricas da série original estavam um par de serras-laser que ficavam posicionadas nas extremidades de braços altamente manobráveis.



Botão D – Defense Guard

Assim como na série original, envolve a cabine do Mach com um escudo sólido.

Botão E – Emergency Wire

O único equipamento totalmente original, substituindo os Evening Eye (Faróis Dianteiros) da versão de 1967. O Emergency Wire disparava do pára-choque do Mach um gancho atado a um potente cabo. Com o gancho o Mach podia retrair o cabo como um guincho.

Botão F – Fish Diver

Pressionar este botão, convertia o Mach de um carro padrão num pequeno submarino. Graças às hélices duplas que surgiam da traseira do carro, o Mach viajava submerso seguramente.

Botão G – Gallant

Uma pequena máquina voadora controlada por controle remoto muito ao estilo do pombo robô Gizmo da série original. O Gallant podia ser usado para ajudar na navegação, bem como coletar dados em outros carros numa corrida.

O Mach 5 original.


Quando o novo Speed Racer estreou, o foco principal eram os esforços de Go em vencer a Corrida da Batalha Mundial (Earth Grand Prix), uma série de difíceis corridas que o levaram a todo tipo de locais exóticos ao redor do mundo. Durante essas corridas, ele encarava oponentes que dirigiam seus próprios “carros de batalha”, pilotos que estavam equipados com uma variedade de diferentes equipamentos que eles utilizavam para tentar forçar os outros a abandonarem a corrida. Os principais rivais de Go durante essas corridas eram o piloto playboy Jetson; o arrogante Crasher Kid; e Cecile e Mikhail, membros da Equipe Exelion. Sr. Bolboa, o chefe da Exelion, queria que eles vencessem a Batalha Mundial e descobrissem os segredos do Mach, particularmente sobre o misterioso Mirage Shoot. O Mirage Shoot, em certas circunstâncias, permitia que o Mach viajasse em velocidades inacreditáveis.

Aparecendo também, frequentemente, estava o misterioso mascarado, Corredor X. Como isso já não é surpresa para ninguém, o Corredor X era na verdade Kenichi Hibiki, que sobreviveu ao acidente que deveria ter lhe matado, provocado, em parte, pela potência do Mirage Shoot.

Os novos personagens.

Acompanhando Go em suas viagens mundiais estavam Takumi Tateishi, o principal mecânico do Mach e Mai Kazami, uma repórter que cobria o circuito de corridas. Ao invés de dar a Go um irmão caçula, esse papel ficou para o irmão mais novo de Mai, Wataru. Quando a série teve início, Wataru não tinha o esperado parceiro primata. Isso mudou no episódio 20 da série, quando a Corrida da Batalha Mundial levou nossos heróis à África, onde Wataru tomaria conta de um jovem gorila africano chamado Rocky, convenientemente vestido com um macacão vermelho e chapéu listrado.

Wataru e sua irmã Mai.

A nova versão do Speed Racer tentou apelar não apenas ao público mais jovem mas também aos colegiais. Como resultado, várias subtramas envolvendo a Equipe Exelion, Corredor X e o Mirage Shot eram desenvolvidas num ritmo mais lento, desenvolvendo-se ao longo do tempo, enquanto o foco principal da ação estava nas desafiadoras corridas que Go participava. Em sintonia com esse estilo, a música que Michiru Oshima criou para a série variava de trechos mais lentos ao estilo jazz a músicas de corrida num ritmo mais rápido, com todo tipo de música no meio.


A série teve um bom patrocínio, em particular da companhia de música Nippon Columbia e a fabricante de brinquedos Tomy. Apesar disso, a audiência do show não foi tão boa quanto se esperava. Embora popular entre o público mais jovem, a série não conseguiu atrair um público mais velho. Num esforço para contornar essa situação, foi decidido levar Speed Racer para uma direção diferente. O enredo da Batalha Mundial  foi rapidamente resolvido no episódio 21, com Go Hibiki vencendo o campeonato, naturalmente. Na semana seguinte, a série mudou para um novo dia e um horário mais cedo que podiam ajudar a atrair mais telespectadores do ensino fundamental que compunham a maioria da platéia. A partir desse episódio, a premissa da série mudou radicalmente. Foram-se as estórias de corrida e personagens como Jetson e a Equipe Exelion. No lugar, descobriu-se que quando o Mach se propulsionava até seus limites e viajava a 555Km/h, o carro entrava no Mirage Shoot, que agora permitia que se viajasse no tempo e espaço para qualquer lugar e data no mundo. Aparentemente, os filmes De Volta para o Futuro (Back to the Future) faziam tanto sucesso no Japão quanto na América.

Independentemente disso, essa habilidade de viajar no tempo levou nossos heróis ao ano 2555, onde descobriram que o mundo estava sendo controlado por Handler, um maligno alienígena de pele azul. A única coisa que Handler precisava para assegurar sua dominação do mundo era a Roda de Ezekiel, uma fonte lendária de poder que saltava aleatoriamente através do tempo. Em pouco tempo, Go, Mai, Wataru, Rocky e Takumi decidiram usar o Mach para viajar através da história afim de manter a Roda de Ezekiel a salvo das garras de Handler e seus capangas.

Handler

Infelizmente, a mudança não conseguiu atrair mais audiência e a série foi cancelada. Felizmente, a Tatsunoko soube com antecedência que a série caminhava para o fim, assim o estúdio foi capaz de dar um final a série. Quando o 34º e último episódio foi ao ar em 24 de setembro de 1997, Go usou o Mach para invadir a fortaleza de Handler e derrotar o vilão de uma vez por todas.

Não surpreendentemente, a Speed Racer Enterprises tratou de lançar rapidamente o novo Speed Racer nos EUA. Quando proposta pela primeira vez em 1998, a nova série foi rebatizada Speed Racer Y2K. A Speed Racer Enterprises usou o terceiro episódio do novo Mach GOGOGO para produzir um piloto para Speed Racer Racer Y2K, intitulado The Silver Phantom. Esse piloto teve sua estréia mundial diante de um salão lotado na San Diego Comic Con International de 1998. Infelizmente, apesar da boa recepção que a série teve durante a convenção, a Speed Racer Enterprises não conseguiu vender a série. Mach GOGOGO permaneceu inédito na América até 2002, quando a Speed Racer Enterprises fechou um acordo com a DiC Entertainment para editar e dublar a série para transmissão no canal a cabo Nickelodeon.

Agora batizada de Speed Racer X, a nova série estreou no Nickelodeon em 12 de agosto de 2002, como parte de um bloco de programas de ação intitulado “Slam”. Mas, a Nickelodeon só exibiu alguns episódios antes de cancelar abruptamente toda linha “Slam”, incluindo Speed Racer X. Como se isso não fosse o bastante, o acordo entre a Speed Racer Enterprises e a DiC desmoronou, levando a DiC a processar a SRE por fraude e quebra de contrato. Por causa da batalha entre as duas empresas sobre a posse de Speed Racer X, apenas 13 episódios da série foram produzidos, e é provável que mais nenhum seja visto. No Brasil, o desenho foi exibido no Cartoon Network com o título de As Novas Aventuras de Speed Racer.

Em 2006, Speed Racer ganhou outro remake – episódios curtos de 7 minutos – chamado Speed Racer Lives, uma série de “webisodes” em Flash que foram lançados on-line pelo website da companhia de brinquedos Art Asylum. Naquela época, a Art Asylum teve a licença para produzir uma série de brinquedos do Speed Racer, através dos quais a companhia lançou algumas versões do Mach 5 e do Estrela Cadente (Shooting Star) para as prateleiras das lojas de brinquedos. Para criar uma linha de brinquedos maior, a Art Asylum pretendia expandir o universo de Speed, Trixie e o resto além do que foi visto nos 52 episódios originais. Eles trabalharam com a SRE para desenvolver um conceito que trouxe os personagens de Speed Racer até o presente, mostrando o que aconteceu a eles após o término da série.

Speed, Clutch, Zequinha, Gorducho, Nitro, Vortex, Corredor X, Velocity e Speed Junior.


O novo Speed Racer Lives focava sua atenção no casamento de Speed e Trixie, seus filhos gêmeos, Speed Junior e a jovem Velocity, e os amigos das crianças. Outros personagens clássicos de Speed Racer também apareceram, incluindo Corredor X, um mais velho mas ainda animado Pops Racer; o adulto Gorducho, que agora trabalha como mecânico e Zequinha que de alguma forma mudou de chimpanzé para gorila. Seguindo a tradição da família, os filhos de Speed entraram agora no negócio das corridas, com Velocity dirigindo o Mach 9 e Speed Junior nos volantes do Mach 10. E, como sempre, o problema vinha em seguida.

Três curtas da série foram produzidos, apresentando o retorno de Cruncher Block (o inventor do Carro Mamute na série de 1966) utilizando uma gangue de ciborgues malignos para vencer as corridas. O último episódio terminou com um gancho onde os capangas de Cruncher sequestraram Pops Racer numa tentativa de forçar a família Racer a entregar os planos do motor GRX. O motor apareceu nos episódios 20 e 21 da série clássica “O carro mais rápido da Terra”, mas sua potência era tão grande que fazia seus condutores desmaiarem. A esperança era que a série chamaria atenção o suficiente para continuar, permitindo assim que a Art Asylum produzisse brinquedos baseados nos novos personagens e veículos. Apesar da melhor das intenções, a recepção à Speed Racer Lives foi morna, e os planos de expandir a série foram arquivados.

Ficha técnica

Título original: マッハGoGoGo / Mach Go Go Go (1997)
Produção: 09/01/1997~24/09/1997
Exibição: TV Tokyo, ep. 01~21 (quinta-feira, 19:00 às 19:30); ep 22~34 (quarta-feira, 18:30 às 19:00)
Audiência: 5,8% (maior), 2,7% (menor), 4,6% (média)
Episódios: 34
Produtora: Tatsunoko Prodution
Emissora no Brasil: Cartoon Network

Fontes:
Sci Fi Japan
Heaven Spot
Home-Aki
Ani Search 

2 comentários:

Daniel Cabral disse...

Eu ainda me lembro desse anime, só que eu não assistia. Se não me engano, passava nas tardes de sábado, mas realmente a versão original é sempre a melhor.

Leonardo Peixoto disse...

Sabe onde posso encontrar os episódios dublados ?

Postar um comentário

 
Copyright 2011 @ Blog do Ranger Sombra!
Design by Wordpress Manual | Bloggerized by Free Blogger Template and Blog Teacher | Powered by Blogger