domingo, 11 de agosto de 2013

Superaventuras (TV Manchete)


        "Super Aventuras" foi uma série animada produzida no Japão, na década de 70. Tratava-se de várias adaptações de famosos contos de fadas, de divertidas fábulas ou de grandes clássicos da literatura, que foram exibidos pela Rede Manchete em 1984 e pela TV Cultura em 1989. Pouco se sabe sobre sua origem. Existia o boato que foi montada no Brasil, ou seja, vários contos de diversas produtoras foram selecionados, formando a série. Inclusive, na abertura, o título da série vinha grafado em português, porém mais tarde descobriu-se que a série foi montada na Itália e exibida com o título "Le Piú Belle Favole Del Mondo".


acima vemos uma cena da abertura...

        Cada conto tinha a duração de 10 minutos, sendo que alguns tinham mais de uma parte. A abertura trazia uma garota correndo atrás de um balão vermelho e passando por vários cenários e situações, fazendo referência ao nome do desenho. Porém, essa abertura era meramente ilustrativa, pois tais cenas não apareceram em nenhum conto da série (pelo menos entre os que foram exibidos no Brasil). A dublagem foi feita pelo estúdio Telecine e a distribuição era da Network; um dos pontos altos era a narração mágica das histórias: a espetacular voz da narradora Neyda Rodrigues, já falecida, fazia lembrar os antigos disquinhos coloridos em vinil que tocavam o coração com ensinamentos que valorizavam a amizade, o amor, a alegria e a confiança no próximo. Existiam também episódios que davam calafrios e pena. Alguns dos contos mais lembrados entre os fãs do desenho são "O Quebra Nozes", "A Derrota", "A Flor-Cosmos", "A Princesa e a Espinha de Peixe", "Drácula", "Frankenstein", "O Príncipe e o Pobre", "O Rei Tubarão", "Na Cova dos Leões" e "São Bernardo".


...e aqui vemos uma cena do encerramento, no qual não apareciam os créditos do desenho

ALGUNS CONTOS:
"A Flor Cosmos" - Uma pobre menina órfã perdeu todos os seus bens materiais para conseguir colher a linda flor "cosmos" para enfeitar os túmulos de seus pais. No final emocionante, a menina, nua por ter dado até suas roupas para conseguir chegar ao seu destino, recebeu uma chuva de flores, que a cobriram como se fossem um vestido. No céu, a imagem de seus pais se formou em agradecimento.

"A Derrota" - Um coelho esperto escapou de ser devorado pelo destemido tigre da floresta ao oferecer bolos de arroz por sua vida. O tigre aceitou, mas ao invés de bolos, o coelho tostou pedras, que causaram queimaduras em sua garganta. No reencontro dos dois, o coelho ofereceu mil peixes em troca de sua vida. Temendo ser enganado novamente, o tigre o amarrou em uma árvore e colocou seu rabo no lago para conseguir os peixes, seguindo  instruções do coelho. A noite caiu e o lago foi congelando. Logo o tigre ficou com o rabo preso no lago e o coelho escapou feliz.

"Drácula" - Sharon foi a única sobrevivente de um acidente de percurso na região da Transilvânia. Ao acordar, encontrou-se na casa do vampiro Drácula. O jovem Chistopher, filho de Drácula, apaixonou-se por Sharon e preferiu morrer ao ver sua amada transformada em uma vampira.



"A Princesa e a Espinha de Peixe" - Um rei obrigou um simples camponês a curar sua filha, que durante o almoço engoliu uma espinha de peixe que ficou entalada na sua garganta. Caso ele não a curasse, seria morto. Como ele não era médico, fez diversas tentativas até que teve uma ideia e fez cócegas com uma pena no nariz da princesa. Ao espirrar, a espinha acabou saindo. A fama do camponês fez com que um batalhão de pessoas humildes ficasse na porta do palácio pressionando o rei para serem curados de seus males como, por exemplo, dores nas pernas, cegueira, etc... O rei obrigou o camponês a curar a população e ele, morrendo de medo de ser massacrado tanto pelo rei quanto pelo povo, teve uma ideia: disse em voz alta que sabia produzir um remédio que curaria todos os males, só que para isso precisaria de cinzas humanas. Para não ser injusto, pois teria que matar uma pessoa, resolveu escolher a pessoa que estivesse "nas últimas". A cena mais engraçada desse conto era quando o camponês apontava para as pessoas dizendo que foram escolhidas para serem mortas. Uma velhinha arregalava os olhos dizendo que ocorrera um milagre e que estava enxergando, um velhinho soltou a bengala e começou a dançar dizendo que já era capaz de andar... Todos fugiram do local para não se transformar em cinzas. E o camponês, é claro, foi premiado pelo rei por ter conseguido "curar" tão rápido uma multidão.

"O Quebra-Nozes" - Uma menina órfã (Clara), criada por seus tios, via no boneco Quebra-Nozes seu príncipe encantado. Na noite de Natal, ratos invadiram a casa e o boneco e outros brinquedos começaram um duelo para proteger Clara. Para ajudar seu boneco Quebra-Nozes, que foi atacado, a menina acertou seu chinelo no "rei dos ratos" e este se vingou,  levando-a ao seu "Mundo dos Sonhos", onde seus pais falecidos reinavam, mas Clara não aceitou que seu mundo dos sonhos, onde se refugiava, estivesse ruim. Seu boneco Quebra-Nozes então quebrou a maldição, mas o rei dos ratos, insatisfeito, cravou sua espada em Clara. Quando acordou, Clara se conformou com seus tios que tudo não passou de um sonho. Porém, quando foi apresentada ao filho do amigo de seus tios, teve uma surpresa: Clara visualizou no menino, seu Príncipe Quebra-Nozes.

"Frankenstein" - O Dr. Frankenstein criou um monstro de mais de dois metros de altura que, após matar seu criador, saiu perambulando pelas aldeias. Todos que cruzavam seu caminho e mostravam o medo que sentiam ao encontrar o monstro, eram mortos. Até que Frankenstein encontrou uma pequena garota que simpatizou com a figura do monstro. Imediatamente, "Frank" adotou-a e a levou para um casarão, a passeio. A pequena pediu ao monstro que fosse colher flores, afim de lhe oferecer. A garotinha ficou no casarão aguardando o monstro e enquanto isso, caçadores estavam atrás de "Frank". Acabaram encontrando pegadas que os levaram ao casarão, onde decidiram atear fogo. Assim, o monstro abandonaria o recinto e seria alvejado pelos caçadores. Mal sabiam eles que a garotinha corria perigo. O monstro, vendo sinais de fumaça, correu para salvá-la e foi alvejado pelos caçadores. Ferido, ele resistiu e só morreu quando conseguiu retirar a garotinha de dentro do casarão.



"O Coelho e a Manteiga" - Um coelho enganava os animais da floresta. O urso, o macaco e o elefante estavam discutindo sobre como deveriam dividir uma deliciosa manteiga. O coelho interviu, dizendo que seria melhor deixá-la dentro de um balde que seria colocado no lago para que, no dia seguinte, ficasse fresca e mais saborosa. Os bichos, que não confiavam no coelho, imaginaram que o coelho estava mal-intencionado. O coelho, claro, afastava a desconfiança dos colegas. Quando todos estavam dormindo, o coelho foi até o lago, pegou a manteiga e passou um pouco nos lábios de cada bicho. Em seguida comeu tudo sozinho. De manhã, quando os bichos perceberam que a manteiga não estava na balde, começaram a brigar uns com os outros, pois todos eles estavam com a boca suja. O coelho ficou de fora da briga, pois sua boca não estava suja. Somente quando os bichos olharam seus reflexos no lago é que viram que foram enganados pelo coelho. Este, porém, já estava bem longe.




Ficha técnica

Título original: 天使がとおる(Manga Sekai Mukashi Banashi)
Produção: 07/10/1976~28/03/1979
Episódios: 127
Produtora: Dax Productions
Emissoras no Brasil: Manchete, Cultura


2 comentários:

Edson Santos disse...

De Todas as Histórias, Cozete é a mais triste :(

Claudinha S.W. disse...

Me doi ate recordar como eu era feliz

Postar um comentário

 
Copyright 2011 @ Blog do Ranger Sombra!
Design by Wordpress Manual | Bloggerized by Free Blogger Template and Blog Teacher | Powered by Blogger